terça-feira, 1 de maio de 2012

Nós que corremos atrás do tempo perdido e do tempo que
se perde, quando conseguimos chegar perto dele, ele, por
instinto, magoa-nos... Não o podemos tentar controlar, se
o fizermos começam a chegar aquelas doenças malucas que
matam num abrir e fechar de olhos, aqueles acidentes de que
ninguém esperava, aquelas desgraças familiares que ninguém
adivinhava, é o princípio do fim, só porque tentamos controlar
aquilo que de mais selvagem e incontrolável e inimaginável
há... O tempo, a vida, a forma como seguimos em frente...
Por isso, às vezes, recuar para a frente é uma óptima solução,
estás sempre num bom sitio de partida para correr para trás...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...