quarta-feira, 5 de junho de 2013

Sem sentido

Nunca pretendi ser grande, nunca procurei a aceitação dos "maiores"... Nunca procurei ser melhor que ninguém. Nunca entendi essa luta diária que todos travam com todos em quem foi o mais, o melhor. No entanto, essa falta de pretensão levou-me a estar acima de muitas pessoas. Das pessoas que correm sem sentido, na direcção de ser mais e melhor, tornando-se apenas mais medíocre a cada passo mal calculado. A cada queda um levantar sozinho, sem apoio, um levantar sem sentido, mais um. E eu, do alto da minha não pretensão vejo-os cair, sem sentido. Não me dá vontade alguma de lhes deitar a mão, no fim de contas, só não têm apoio porque subiram apoiados na destruição dos que o rodeavam. E daqui, daqui de cima, para onde nunca caminhei, para onde me empurraram por não valer a pena destruir, rio-me da sua "desgraçada há muito adivinhada".

Sem comentários:

Enviar um comentário