sábado, 24 de agosto de 2013

Sentido

Perdes-te, a vida parece querer enganar-te, os que te rodeiam parecem não te dar sentido, confundem-te. Os dias caem uns a seguir aos outros e o caminho parece não se revelar. Aos poucos vais desistindo, vais-te deixando perder, porque nada parece fazer sentido. És enganado mais um dia... E outro. Mais dias caem, nós já não nos levantámos tanto. E o tempo passa, foge, parece que não vamos chegar a lado algum. E mesmo assim há um quê que nos vai puxando do fundo, às vezes são os que nos rodeiam e outras tantas vezes somos nós a ir buscar força àqueles que nos empurram. E ao fim, a vida fez todo o sentido. Porque às vezes a vida e só não fazer sentido. E este é o sentido que ela nos dá. E ela acaba por estar certa e nós acabamos por nunca ter acertado, porque esperávamos um destino, um destino que não era nosso e a vida só nos tentava tirar de lá. E acabámos por não ter dado um sentido digno a uma vida que sempre nos tentou salvar de uma morte à qual devíamos ter fugido. A morte da esperança!

2 comentários:

  1. Corrigido ;) Digamos que escrever a correr pode eventualmente acabar neste tipo de situações embaraçosas, eheh!!

    ResponderEliminar

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...