sábado, 19 de abril de 2014

Mais uma noite, mais uma aventura talvez!! De início ia a medo a meio ia com muito mais medo ainda!! Não é fácil viver num mundo onde se quer agradar a todos e ele sabia-o, tarde demais talvez... No fundo nunca se respeitara, respeitara sempre os outros acima dele. E com esse respeito a única coisa que ganhava era mais medo ainda... Um dia, numa tarde quente e cinzenta de Verão desnorteado cruzou-se com ela, cheirava a flor de mar, aquela combinação de doce com salgado, sabia-o antes de se aproximar dela. Ao aproximar-se perdeu-se, ela vivia livre, livre dos julgamentos dos outros, vivia para si e depois para os outros, construiu-se para poder construir nos outros! Ele, ainda a medo, deixou-se ir, perdido, sem perceber onde iria este caminho levar. Estava fascinado com a complexidade daquela simplicidade... Foi sempre assim a medo e sabe-se que se foi embora antes de perceber o que era tudo aquilo! O medo mais uma vez havia vencido, restava-lhe agora ser forte para uma outra vida... Uma outra vida que tinha medo de encontrar... Não se sabe se foi sempre assim, tinham medo de lhe perguntar, porque tinham medo que tivesse medo de responder. Havia perguntas para as quais as respostas não estavam preparadas, havia respostas que ainda não tinham perguntas preparadas. Foi aí que percebeu que o medo não fazia sentido e as respostas não surgem sempre depois das perguntas e a morte não surge sempre a seguir à vida! A morte surge a cada vez que o medo vence a vida. Não se perguntou, limitou-se a ficar com esta resposta, com medo de que a seguir a esta pergunta viesse outra.

2 comentários:

  1. Hoje passo especialmente para desejar Páscoa feliz de paz, amor e renovação!
    Bjs
    Maria

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Maria, uma Páscoa feliz para ti também.. Tudo de bom!!
    Beijo

    ResponderEliminar