domingo, 1 de dezembro de 2013

Portishead - Roads

E todos por aí nos acusam de sermos a geração, dita, rascas. O que nem todos entendem é que, até hoje, fomos a melhor geração de sempre. O que nem todos entendem é que somos simplesmente as vítimas de umas gerações anteriores que não nos quis aproveitar, ou, no mínimo, não nos conseguiu garantir um futuro à nossa altura. Teríamos sido a geração mais capaz e mais eficaz num mundo, agora perdido, num mundo onde tudo o que se aprende tem de ser esquecido pelo caminho. Num mundo onde tudo o que se fez não serve de muito para o mundo onde nos querem inserir. Não somos maus. Somos bons, naquilo em que seria suposto sermos. Talvez nos pudessem criticar por não sermos capazes de aceitar o básico e o implementado socialmente, talvez... Mas... assim sendo, porque nos deram tanto acesso à informação? Bastava limitarem-nos e não seríamos mais do que o que os outros foram. Só não nos peçam para sair, quando somos mais capazes do que os que nos impedem de ficar.

Sem comentários:

Enviar um comentário