sexta-feira, 20 de maio de 2011

É como

É como se fosses dar um passo incerto,
é como se tudo o que até agora fazia
sentido, deixasse de o fazer, é como
quem adivinha que nada irá ser como
antes... É como que o chão que por
tanto tempo nos agarrou e nos deixou
cair estonteantemente, de repente,
quisesse que entendessemos que nem
sempre a queda é o pior dos cenários.
Nao, nao estou a dizer que o que aí
se aproxima será pior, nao... Mas a
certeza do que temos quando trocado
pelo que poderemos ter parece fácil.
Nao, também nao é... É como atirar com
um passado imperfeito, muito bem cimentado,
para o que nos persegue e caminharmos
levemente em direcçaão ao próximo
desafio... É como se caíssemos para
cima, com a sensação que estavamos muito
melhor em baixo, a cair no chão duro
que tantas vezes desprezamos e odiamos.
É como se fosse um principio de fim,
quando afinal o fim já foi... Começar
implica o fim... E isso, isso é muito
estranho, para quem fuma apenas um cigarro
na varanda... Digo eu...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...