terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Não tenho qualquer dúvida de que o mundo roda
Gira religiosamente, como se não hovesse razão.
Não tenho qualquer dúvida de que a vida é um vazão,
E o Homem vá nascendo e morrendo numa "hora".

Não culpo Deus por todas as injustiças que se fazem sentir
Num mundo onde o fraco é atacado pelo todo poderoso
Nem digo, tão pouco, que caminhamos para um fim caloroso
Num inferno que ainda não houve quem quisesse desmentir.

Acredito ainda que a Natureza que nos criou
é minha Mae e que não deixará quem sou
às mãos tortas dos que não sabem viver.

E se não houver ninguém que me salve a alma
Pelo menos que carreguem a minha vida na palma
E que não tenham nunca medo de a deixar cair.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...