segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Não foram poucas as vezes que ele tentou não acordar,
para não a deixar partir sem um "até já". Só ele sabia
a quantidade de vezes que tentou voltar a adormecer e a
apanhar antes de ela partir para si. Sonhava com ela,
amava-la, mas não tinha nem a coragem, nem a determinação
para lhe explicar. Enquanto ele sonhava, ela esperava,
aceitava todas as suas "inocentes" brincadeiras, até
porque ele era engraçado e aventureiro e sabia divertir
uma miuda, só lhe faltava a seriedade que um dia a vida
lhe traria. Hoje ela espera não acordar, para poder
continuar a viver o passado enfeitado em forma de sonho.
E ele espera não adormecer, para não ter de voltar a chorar
a perda do que, na realidade, nunca tivera... E assim
caminham ambos, afastados, de mãos dadas a um futuro que
só os faz pensar no que poderia ser se... E agora é dia
dos namorados e querem estar juntos, talvez hoje ambos
tenham vontade de adormecer e não acordar, para pelo menos
terem mais um dia perfeito, um de tantos dias que poderiam
ter sido... No fim de tudo, percebes que não foste nada...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...