sexta-feira, 4 de novembro de 2011

GPS

E tu que não sabias por onde ir foste, sem
medo do que se avizinhava desenhaste o teu
caminho por entre mato e pedras e tempestades
e noites assustadoras e caminhos de ninguém.
Os outros que sabiam perderam-se e nao mais
se voltaram a encontrar. Os outros não sabiam,
mas queriam ir atrás dos outros que sabiam.
Perderam-se juntamente com eles e voltaram,
não continuaram a acreditar, descobriram "errar".
É a diferença de quem não segue ninguém, esses,
esses nunca se perdem, porque não sabem para
onde vão e só esses correm o risco de ser felizes.


Eu fui, voltei, voltei a ir e voltei, mas eu tenho GPS.
E ai de mim se não tou a falar mesmo do GPS.

2 comentários:

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...