terça-feira, 29 de novembro de 2011

E foram os tempos que não passamos juntos
que nos deixam saudade, aqueles que poderiam
ter sido e acabarm por não ser, porque eu
coloquei sempre alguma coisa antes de ti.

E é disso que te queixas e é nisso que eu
insisto. O que não foi nunca poderia ter sido.
Um dia daremo-nos outra oportunidade e
vamos continuar a ser o que nunca fomos.

Não nos podemos queixar de falta de tempo,
ainda temos todas as oportunidades que nao
conseguimos desperdiçar ainda, ainda temos
a vontade que nao nos destruiram ao tentar.

E enquanto a morte brinca de maos dadas
com a vida, podemos fazer toda a batota
que conseguirmos, mas no fim há a certeza
que a morte acaba com tudo o que sonhaste.

2 comentários:

  1. Bela escrita...Consequente de um sentir?!

    A morte chega sempre...Nunca chega é no tempo certo:)

    ResponderEliminar
  2. Digamos que mais consequente de um sentir pouco manifestado;)

    Há um senhor que diz que os problemas só surgem se não morrermos cedo;)
    Ah e isso da morte ainda é uma coisa que me faz uma certa confusão...

    ResponderEliminar

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...