quinta-feira, 13 de maio de 2010

Acerca de gavetas

"Gavetas" fechadas
Ora cheias, ou pouco vazias
ora quase vazias
pelo cheio que esperavam,
fechadas a sete chaves
atiradas para o que de
mais longe há em nós
Hao-de la estar sempre
para nos lembrar que
o passado nao nos deixará
avançar sem receio de que
um dia por engano
abramos a gaveta errada
para de lá tirar
o que nao mais havia de ter saido
apenas porque fomos caminhando
exactamente para o que
de mais longe há em nos,
é esse tal medo
dessa tal caminhada
que nao poucas vezes
nos obriga a caminhar devagar
para que possamos evitar
as gavetas mal fechadas.

O que me tranquiliza
é que em cada gaveta
dei o que de melhor eu tinha
sem a noçao de que
no futuro teria sido mais
mas o futuro nao vale de nada
ás gavetas fechadas lá atras
porque nessas gavetas
nesse tal passado
nao me era possivel vislumbrar
o armario do presente.

E por isso caminharei
sem receio algum
para o que de mais longe há em mim
mas nao demais, apenas o racional
porque nao quero trair o que fui
o que sou
por aquilo que poderia ser se...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...