terça-feira, 19 de maio de 2015

"Ter-te longe
e desejar-te aqui,
onde o frémito do corpo acontece.
Aqui, lugar onde
o vício dos olhos e das mãos me inquieta.

Ah, ter-te perto
suster a respiração,
cerrar os olhos
e deixar que tudo comece
e acabe em ti.

Ensaiar o voo da águia
e suavemente planar sobre a superfície
sinuosa do teu corpo perfeito
no asa-delta da paixão.

Ter-te perto,
sentir o perfume da tua presença
pelo calor do corpo,
pela claridade dos olhos
e pensar
que o sol e a alegria
de cada manhã,
nascem exactamente em ti."

2 comentários:

  1. Poema muito belo
    gostei de ler-te em poesia
    muito muito bom!
    bom fim de semana.
    beijo
    :)

    PS devias aumentar a letra, pois está muito pequena.

    ResponderEliminar
  2. Olá Piedade :)
    Este fantástico poema não é meu :)
    Mas muito obrigado pela visita...

    Bom fim de semana
    Beijo *

    ResponderEliminar