quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Nada!


Se tivessemos noçao do ridículo em que caímos diariamente, acredito que mudaríamos por completo a nossa forma de viver...


Se há alguma coisa mais aborrecida que desempenhar as tarefas exigidas a nós hoje, é pensar no que nos vai tocar amanhã. Sim porque pensar no futuro tem esse defeito, estragar o presente por o imaginarmos igual ou pior que o hoje, ou entao faze-lo tao perfeito que provavelmente o amanha fará com que essa perfeiçao hoje imaginada fique muito aquem daquilo que esperavamos, causando aquele sentimentozinho de decepçao... E agora pergunto-me... Porquê que pensamos no amanha se na realidade ele pode nao chegar, porque é que defenimos metas, quando podemos viver como se nao houvesse amanha e provavelmente ultrapassar essas metas programadas?

Isto faz-me lembrar algo que li algures...


"O que pensamos é menos do que sabemos;
O que sabemos é menos do que amamos;
O que amamos é muito menos do que "tudo o que existe"
e até a esse ponto só sei que somos muito menos
do que deveríamos ser..."

E depois, "no fim, quase fomos o que queremos"...


Sem comentários:

Enviar um comentário

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...