segunda-feira, 13 de abril de 2015

É a tua verdade.

"Schh... sossega".

A verdade, nem mesmo a verdade, não a digas.
Não digas nada, não vamos entender, mesmo que
a verdade acabes por dizer, vamos ficar sem 
perceber o que é de verdade a realidade.
Vamos viver, só, como se a verdade valesse
tão pouco como a mentira. Só viver, sem dizer.
Com o tempo vamos-nos lembrar do que foi
de verdade real, do que não foi mentira, mas
acabou por não ser verdade. a verdade, o tempo.
Talvez outro dia, noutro sítio, pareça que não 
foi de verdade todo este caminho que nos 
trouxe até onde quis. Na verdade, foi o caminho
que nos escolheu, não fomos nós que escolhemos
o caminho. Hoje, sem dizer, sou feliz contigo,
de verdade. Sou feliz até onde me deixares.
Não digas nada, a verdade, essa é só tua e 
de mais ninguém, a verdade. E a verdade é
só tua e não é só minha. A realidade, só essa
pode ser nossa, como a rua que nos acolheu,
de verdade. Não sei se foi ela que nos escolheu,
se fomos nós que nos escolhemos, mas não
digas já a verdade. Talvez para sempre parece
uma coisa vã, mas não digas a verdade.
Vamos ser felizes, só felizes sem verdade e 
sem mentira, vamos só ser. Nem que seja
vão o nosso existir, agora sou feliz,
Vamos viver metade de verdade, metade a 
mentir. E a mentira será sempre o qeu não 
conseguimos ser e a verdade o que não 
podemos viver. Será sempre pela metade 
a verdade ou a mentira. Vivemos sem saber
aonde irá parar esta viagem, não digas nada.
Talvez amanhã não sejamos nada, talvez 
já sejamos tudo, mas não digas a verdade.
"Não digas nada." 

2 comentários:

  1. a verdade de um pode não ser a verdade do outro ou vice versa.
    beijinho
    :)

    ResponderEliminar
  2. E a verdade de dois também pode não ser a verdadeira verdade ;) Beijinho *

    ResponderEliminar