domingo, 24 de outubro de 2010

Tudo vai

E por fim reparas, que não és
bom o suficiente para que esperem
por ti, por fim reparas que tudo
aquilo em que acreditaste durante
tanto tempo nao passa, no fim, de
uma pequena desilusão, que se vai
revelando maior conforme a observamos
a afasta-se de nos por nao ter esperado.
Agora o que resta? Correr atrás de
quem nao ficou o tempo suficiente
para perceber se realmente queria
ir ou nao? Talvez a culpa seja minha
de me fazer esperar demais, talvez
tenha medo de voltar a "cair", talvez...
Por fim reparas que ficaste sozinho,
que quem esperava contigo, preferiu
caminhar sozinha noutra direcçao.
Por fim reparas que ficaste sozinho,
mas estar só nao é assim tao mau,
também nao é assim tao bom, bem o sei.
É um nao sei quê que se suporta, até
porque me apercebo de que realmente é
o fim e devo caminhar, nao atras de ti,
mas para o lado certo do coraçao, talvez...
O que nao quer dizer que caminhar no teu
sentido fosse o lado errado, talvez nao o
fosse, mas nao me parece bem correr atras
do que nao espera... Sim, porque isto nao
é como quem vai atras do comboio que se
apressa ao nosso atraso... O comboio já tem
o seu caminho traçado com barras de ferro,
já tem um horário defenido que nao lhe
permite esperar por mim, mas tu nao tinhas...
Poderias ter tentado ajeitar o tempo de
forma a que eu nao chegasse tarde...
Portanto caminho para outro lado, até porque
ainda nao me traçaram caminhos de ferro,
ainda me acho capaz de moldar o meu caminho
á minha vontade, á minha maneira...
E esse, esse será o meu caminho, o meu e o de
que me acompanhar nessa viagem...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...