terça-feira, 11 de setembro de 2012

José Afonso - Rio Largo de Profundis

Sem comentários:

Enviar um comentário

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...