domingo, 9 de janeiro de 2011

MULHER

"A mulher que eu mais amei
com paixão tão doentia
foi aquela que eu criei
com a minha fantasia !"

Sem comentários:

Enviar um comentário

Às vezes dá aquela vontade muito miudinha de desaparecer... Desaparecer porque nos resta nada... Não há esperança, não há mais caminhos, não...